Tudo que Você Precisa Saber sobre o Update Ethereum The Merge

Atualizado em by Forex Digital

Tudo que Você Precisa Saber sobre o Update Ethereum The Merge

Desde o seu lançamento em 2015, o Ethereum se estabeleceu como uma das principais plataformas de computação descentralizada do setor de blockchain, permitindo a criação de milhares de projetos em sua blockchain. No entanto, a infraestrutura atual do Ethereum não consegue escalar suas operações de forma a atender à crescente demanda global. Para lidar com a falta de escalabilidade, a equipe do Ethereum propôs uma série de atualizações que levariam a uma blockchain Ethereum evoluída. Essas atualizações incluem o Beacon Chain, The Merge, The Surge, The Verge, The Purge e The Splurge.

Por que o Ethereum está se atualizando?

As blockchains são projetadas com o princípio fundamental da descentralização, em vez de depender de uma autoridade central. Os benefícios das blockchains descentralizadas incluem serem sem permissão, sem confiança e mais seguras, pois são resistentes a pontos únicos de falha.

Conforme as blockchains se tornam mais populares, as plataformas devem garantir que possam atender à demanda global por velocidades de processamento de transações, também conhecida como demanda de escalabilidade. A falha em fazer isso pode resultar em congestionamento da rede, quando a capacidade da blockchain é sobrecarregada pelo número de transações pendentes. Isso geralmente leva a taxas de transação mais altas.

No entanto, alcançar segurança e escalabilidade pode ser complicado se as blockchains quiserem preservar sua natureza descentralizada. Esse problema é explicado pelo conceito do trilema de escalabilidade, proposto por Vitalik Buterin. O trilema da blockchain descreve o desafio de equilibrar três propriedades importantes – escalabilidade, segurança e descentralização.

Conforme reconhecido por Vitalik Buterin, a rede Ethereum pré-Merge não consegue atender aos critérios de escalabilidade devido ao seu mecanismo de consenso, o Proof of Work (PoW). Uma blockchain Proof of Work tende a ser mais difícil de escalar por várias razões. Em primeiro lugar, o número de transações que um bloco pode validar em cada bloco é limitado. Em segundo lugar, os blocos precisam ser minerados em uma taxa constante.

Por exemplo, o Bitcoin foi projetado para ter blocos minerados a cada 10 minutos em média, de acordo com a dificuldade de mineração que é ajustada automaticamente pelo protocolo. Embora o design do Bitcoin seja altamente seguro, o tempo do bloco combinado com o limite de transações por bloco pode levar ao congestionamento da rede durante períodos de aumento da demanda. Isso muitas vezes causa um aumento significativo nas taxas de transação e nos tempos de confirmação.

Para superar essas limitações do PoW, a equipe do Ethereum propôs uma série de atualizações conhecidas como Ethereum 2.0 (ETH 2.0).

As Atualizações do Ethereum: O Quadro Geral

As atualizações do Ethereum 2.0 consistem na Beacon Chain existente (já implementada), The Merge (em breve), bem como The Surge, The Verge, The Purge e The Splurge. Após todas as atualizações serem implantadas, a nova blockchain Ethereum espera-se que se torne mais escalável, segura e sustentável, mantendo sua descentralização.

Beacon Chain

Anteriormente conhecida como Fase 0, a Beacon Chain marca a primeira atualização na série de grandes atualizações do Ethereum. Foi lançada em 1º de dezembro de 2020 e introduziu o Proof of Stake no ecossistema Ethereum. Os usuários podem interagir com a Beacon Chain de duas maneiras: fazendo staking de ETH ou executando um cliente de consenso para proteger a rede. Atualmente, ela funciona em paralelo com a Ethereum mainnet.

The Merge

The Merge é o próximo passo sério do Ethereum para lidar com problemas de escalabilidade. Em termos simples, ele integra as duas cadeias independentes existentes no ecossistema Ethereum: a camada de execução e a camada de consenso (Beacon Chain).

Espera-se que a Ethereum mainnet seja fundida ao sistema Proof of Stake coordenado pela Beacon Chain em setembro de 2022. Após a fusão, o ecossistema usará apenas um mecanismo Proof of Stake para proteger sua rede.

Mecanismo de Consenso

Após a fusão, o Proof of Work do Ethereum será substituído por um mecanismo de consenso Proof of Stake. Em vez de mineração, os blocos serão criados (ou forjados) por nós chamados validadores. Um nó é escolhido aleatoriamente periodicamente para validar um bloco candidato.

Esses validadores são incentivados a fazer isso com dicas de taxas de transação e recompensas de staking. Como nenhum nó compete para adicionar um novo bloco, o PoS consome significativamente menos recursos do que o PoW, tornando-o mais sustentável.

Transações na Mainnet

Atualmente, a Beacon Chain processa apenas uma parte das transações da rede. Com a fusão, a Beacon Chain será o local principal de consenso.

“Após a fusão, a Beacon Chain será o mecanismo de consenso para todos os dados da rede, incluindo transações da camada de execução e saldos de contas.” – Ethereum.org

Tokens

O histórico de transações do Ethereum será fundido com a Beacon Chain, mas a moeda ether (ETH) permanecerá como está. Os fundos de ETH continuarão acessíveis após a fusão, e os usuários de tokens ETH não precisam tomar nenhuma ação em preparação para a atualização.

O modelo atual tem um sistema de emissão de tokens que distribui aproximadamente 13.000 ETH por dia em recompensas de mineração e staking. Após a implementação da fusão, não haverá mais recompensas de mineração, reduzindo a emissão de novos ETH para aproximadamente 1.600 ETH por dia em recompensas de staking.

O Que Vem Depois da Fusão?

Embora não haja nenhum anúncio oficial sobre as outras atualizações do Ethereum, The Surge, The Verge, The Purge e The Splurge, o Sharding está definitivamente em andamento e agendado para ocorrer em algum momento de 2023 após a fusão.

Sharding

O Ethereum aumentará sua escalabilidade com a ajuda do sharding para aumentar a capacidade de processamento, provavelmente reduzindo os custos e o tempo das transações. O sharding introduz shard chains, que são semelhantes a blockchains regulares – exceto que cada uma contém apenas uma parte dos dados da blockchain.

Graças ao subconjunto específico de dados fornecidos pelas shard chains, os nós podem verificar transações de forma mais eficiente.

O sharding é uma solução de escalabilidade que requer muito tempo e esforço para ser implementada. No entanto, pode ser uma das maiores conquistas do blockchain em termos de escalabilidade se for bem feito, permitindo que o Ethereum armazene e acesse dados de maneira mais eficiente.

O processo de sharding será um processo de várias fases, com as shard chains da versão 1 fornecendo mais dados à rede, e as shard chains da versão 2 armazenando e executando código. A comunicação entre as duas versões será habilitada.

Quanto às outras atualizações, nada está definido ainda. Em um tweet, Vitalik Buterin deixou claro que as atualizações acima não devem ser consideradas estágios, pois são atualizações que ocorrem em paralelo à fusão.

Por que Existem Tantas Soluções de Escalabilidade?

Parece que o Ethereum está se preparando para ser à prova do futuro e enfrentar uma carga massiva de transações que provavelmente ocorrerá após a adoção em massa. Quanto mais soluções existirem, maior a probabilidade de reduzir o congestionamento geral da rede.

Além disso, isso também pode evitar pontos únicos de falha se uma solução de escalabilidade se mostrar insuficiente. Ter várias soluções de escalabilidade não apenas prepara a rede para um aumento na velocidade e capacidade de transação, mas também ajuda os usuários a evitar altas taxas de transação.

O Impacto da Fusão no ETH

Como um dos projetos de blockchain de segunda geração mais proeminentes, o Ethereum foi lançado com um fornecimento inicial de 72 milhões de ether (ETH). Sob o modelo original de PoW, uma grande porcentagem desse fornecimento de tokens é usada para incentivar os mineradores a proteger a rede.

Com a mudança para PoS, as recompensas de mineração não serão mais distribuídas. Como resultado, haverá uma redução líquida na emissão anual de ETH de aproximadamente 90%. Se a lei da oferta e demanda se confirmar, isso poderá levar a um aumento no preço do ETH. No entanto, os mercados financeiros são imprevisíveis e voláteis, e muitos outros fatores estão em jogo.

O Impacto da Fusão no BETH

BETH é uma versão tokenizada de ETH staked na Binance. Com a fusão, os mineradores não poderão mais receber recompensas de Proof of Work. Em vez disso, os validadores serão recompensados com recompensas de staking, além das taxas de transação que eram oferecidas aos mineradores antes da fusão.

Além disso, os validadores receberão uma parte das recompensas de Valor Máximo Extraível (MEV) após a fusão, e a APR deve aumentar quando o BETH adotar esse conceito. Portanto, espera-se que a taxa de juros anual (APR) aumente significativamente.

Conclusão

A fusão é a segunda de uma série de grandes atualizações na rede Ethereum. Foi proposta para implementar novas soluções de escalabilidade para melhorar a escalabilidade. Após a conclusão de todas as atualizações listadas, é provável que o Ethereum esteja preparado para lidar com uma carga maior de transações sem comprometer a segurança ou a descentralização.

Posts Relacionados
O que é o Polygon (MATIC)?
O que é o Polygon (MATIC)?

O Polygon (MATIC) é uma solução de escalabilidade de camada 2 baseada na blockchain Ethereum. Ele oferece tempos de transação Leia Mais

Conversor de Criptomoedas em Tempo Real
Conversor de Criptomoedas em Tempo Real

Capazes de converter instantaneamente diversas criptomoedas, os conversores em tempo real são extremamente úteis para quem trabalha com o mercado Leia Mais

Melhores Plataformas P2P Para Investir
Melhores Plataformas P2P Para Investir

As plataformas P2P (peer-to-peer) têm ganhado cada vez mais destaque como uma opção de investimento. Neste artigo, vamos apresentar as Leia Mais

Melhor Carteira para Bitcoin – Um Guia Completo
Melhor Carteira para Bitcoin – Um Guia Completo

A Melhor Carteira para Bitcoin é essencial para proteger seus valiosos bitcoins. Carteiras de hardware, como a Ledger Nano X Leia Mais

Como Investir em Criptomoeda
Como Investir em Criptomoeda

A criptomoeda tem despertado interesse de muitos investidores, mas é importante ter conhecimento antes de investir. Conheça aqui as principais Leia Mais

Comprar Bitcoin com Cartão de Crédito ou Débito
Comprar Bitcoin com Cartão de Crédito ou Débito

Comprar Bitcoins com cartão de crédito ou débito é uma forma prática e rápida de adquirir essa criptomoeda. Existem diversas Leia Mais

O Que é Negociação de Criptomoedas?
O Que é Negociação de Criptomoedas?

A negociação de criptomoedas é um processo de compra e venda de ativos digitais que utiliza tecnologias como blockchain e Leia Mais

Carteira Criptografada de Hardware: o que é e Como Funciona?
Carteira Criptografada de Hardware: o que é e Como Funciona?

No investimento em criptografia, a segurança e o gerenciamento de ativos são fundamentais. É aqui que as carteiras criptográficas de Leia Mais

OlympTrade_logo

Ganhe $10.000 Virtuais!

Não é necessário depósito inicial