Antes de tudo, a capacidade do blockchain, ou seja, a tecnologia que suporta criptomoedas como o Bitcoin, é cativante. A blockchain, em nossa opinião, tem potencial para se tornar um pilar fundamental do mundo digital. Ainda estamos nos estágios iniciais do desenvolvimento de criptomoedas, mas se os primeiros modelos de negócios baseados em blockchain ganharem força no mainstream, setores inteiros serão reestruturados, semelhante à forma como o início dos anos 2000 viu o surgimento do comércio eletrônico.

O que é blockchain?

Simplificando, um blockchain é um banco de dados no qual os dados são continuamente registrados e controlados por muitos membros em uma rede descentralizada ao mesmo tempo. Nenhum dos membros pode alterar ou manipular o banco de dados usando métodos de criptografia. Isso contrasta fortemente com os sistemas tradicionais, que permitem que um administrador atualize os dados depois de inseridos. Em um blockchain, isso é mais difícil.

A garantia de que as informações digitais não podem ser modificadas é um passo significativo em nossa cultura cada vez mais digitalizada: você pode ter certeza de que seus dados ou informações salvos permanecerão inalterados e você não terá que se preocupar com exclusão ou alterações por terceiros. É importante ter um ponto focal, principalmente ao automatizar as operações.

Uma rede blockchain também é incomum porque todos os membros se comunicam e estabelecem um acordo sem a ajuda de uma plataforma ou algum outro poder centralizado. Estamos acostumados a organizar as coisas com a ajuda de instituições centrais como bancos e bolsas de valores, bem como plataformas como eBay e Amazon.

O blockchain elimina a necessidade de tais poderes centrais. Como resultado, estamos à beira de uma economia consideravelmente menos dependente do governo nacional e de intermediários. Músicos, por exemplo, podem utilizar o blockchain para preservar seus direitos musicais e pagar contas com todas as partes envolvidas de maneira justa. Não haveria necessidade de grandes gravadoras ou da indústria fonográfica existente, ambas as quais incorrem em enormes despesas de sua parte.

Que impacto a tecnologia blockchain terá no setor empresarial?

A conduta das pessoas mudou conforme a internet avançou com o tempo. Por exemplo, cada vez menos cartas foram enviadas, mas cada vez mais e-mails foram enviados. Mas, mesmo agora, 20 anos após a estreia da Internet, a carta continua longe de ser obsoleta.

Bancos e empresas como o PayPal não desaparecerão como resultado da implementação do blockchain. Esses serviços e negócios só precisarão se ajustar à inovação tecnológica nos próximos anos para evitar que se tornem obsoletos.

De acordo com Michael Saylor, o dinheiro pode ser decomposto em um componente de moeda e um componente de ativo e, se você observar de perto, o Bitcoin não está competindo com o dólar ou o euro, mas sim com o ouro.

A tecnologia Blockchain ainda está em sua infância. Projetos como o Ethereum, que fornece funcionalidade de contrato inteligente, e o IOTA, que visa permitir a automação da comunicação do sistema, estão longe de estarem prontos para uso regular.

A possibilidade, por outro lado, é enorme. Muitas estruturas comerciais tradicionais, principalmente no varejo, foram digitalizadas no início dos anos 2000. Como consequência, os hábitos de compra mudaram drasticamente e organizações como a Amazon floresceram nos últimos anos.

Por sua vez, o blockchain e, sobretudo, seus benefícios em termos de segurança e desempenho alterarão profundamente as estratégias de negócios. Isso tem ramificações tanto na esfera corporativa quanto em muitos outros aspectos de nossa comunidade. A blockchain será a base da civilização digital em duas décadas e espera-se que seja utilizada diariamente.

A transformação do blockchain, por outro lado, começa no setor B2B. Por causa do blockchain, o cenário B2B mudará substancialmente nos próximos dez anos.

Atualmente, há uma série de outros avanços e empreendimentos de acompanhamento, além do Bitcoin. Novas moedas continue aparecendo enquanto a situação mantém sua dinâmica. Quais ativos digitais têm a maior chance de sobreviver a essas mudanças?

O Bitcoin foi criado como um sistema de pagamento por Satoshi Nakamoto, mas agora está sendo utilizado como um ativo financeiro e uma moeda fundamental para outras criptomoedas. Está operando bem desde 2008, mas o Bitcoin ainda não atingiu todo o seu potencial. Foi criado especificamente para este fim. Mudanças e avanços futuros são difíceis e demorados, pois toda a rede deve concordar com eles.

A Ethereum, ao contrário, armazena códigos de programa no banco de dados blockchain, conhecidos como contratos inteligentes, em vez de moeda. Contratos inteligentes são acordos pré-programados que são realizados constantemente com base no slogan “Se x acontecer, faça y”, por exemplo, se a música X for tocada, envie dinheiro de Y para o artista. Esses contratos são imutáveis, baratos e simples de empregar no blockchain, e suas possibilidades são quase infinitas.

O NEO, uma iniciativa chinesa, também é intrigante. O NEO também inclui ativos digitais e identidade digital, além de contratos inteligentes. Ativos, incluindo imóveis, e evidências de identificação, como carteiras de identidade, podem ser mantidos no blockchain, além dos serviços de contrato inteligente.

Furtos e fraudes tornam-se consideravelmente mais difíceis de serem realizados, ainda mais no ambiente digital. Outro aspecto do NEO é sua capacidade de se interconectar com outras blockchains. Isso permite que a NEO estenda rapidamente seu ecossistema.

A criptografia tem muitas promessas para a Internet das Coisas.

Antes de tudo, a capacidade do blockchain, ou seja, a tecnologia que suporta criptomoedas como o Bitcoin, é cativante. A blockchain, em nossa opinião, tem potencial para se tornar um pilar fundamental do mundo digital. Ainda estamos nos estágios iniciais do desenvolvimento de criptomoedas, mas se os primeiros modelos de negócios baseados em blockchain ganharem força no mainstream, setores inteiros serão reestruturados, semelhante à forma como o início dos anos 2000 viu o surgimento do comércio eletrônico.

Como seria uma sociedade movida a blockchain em 20 ou 30 anos?

Os indivíduos terão maior controle sobre seus dados como resultado da descentralização ou se tornarão mais responsáveis. Da mesma forma, espera-se que comunidades menores e locais vejam um renascimento como resultado. Ao permitir que os vizinhos vendam e cobrem uns aos outros pela eletricidade, o blockchain pode até possibilitar o comércio regional de energia.

Com o suporte do blockchain, os empréstimos dentro de um bairro também seriam simples. Como os tokens criptográficos podem expressar explicitamente os laços de propriedade, eles transformarão nossa concepção de propriedade. Se essas empresas forem indexadas por tokens, todos poderão se tornar parceiros de uma corporação, organização ou empresa iniciante.

Obviamente, é necessária uma base legal para tudo isso. Com o blockchain, outros setores se tornariam mais fáceis e baratos para o cliente regular. O pagamento sem dinheiro, por exemplo, é muito mais seguro, e a tecnologia blockchain pode determinar de forma rápida e transparente a receita de uma pessoa ou empresa.

Até as eleições podem ser realizadas no blockchain, tornando-as mais seguras e identificáveis. A democracia seria muito mais honesta como resultado disso. As criptos farão parte da sociedade cotidiana, em geral, embora nem sempre sejam evidentes. O blockchain facilitará nossas vidas de várias maneiras diferentes. Portanto, precisamos abraçar o novo sistema emergente que está transformando a maneira como pensamos sobre o dinheiro!

Resumo

O blockchain, a tecnologia por trás das criptomoedas como o Bitcoin, é visto como um pilar fundamental do mundo digital em desenvolvimento. Essa tecnologia registra e controla continuamente dados por meio de uma rede descentralizada, garantindo sua imutabilidade. Isso contrasta com os sistemas tradicionais que dependem de administradores centralizados. A implementação do blockchain tem o potencial de reestruturar setores inteiros, semelhante ao que o comércio eletrônico fez no início dos anos 2000.

O blockchain elimina a necessidade de intermediários centralizados, promovendo uma economia menos dependente do governo e de instituições centrais. Ele pode revolucionar setores como direitos autorais musicais, reduzindo a dependência de grandes gravadoras. No entanto, sua transformação começará no setor B2B e se expandirá para outros setores ao longo do tempo.

O Bitcoin, Ethereum e NEO são exemplos de criptomoedas com diferentes funcionalidades e aplicabilidades. Enquanto o Bitcoin é usado principalmente como um ativo financeiro, o Ethereum armazena contratos inteligentes e o NEO permite a interconexão com outras blockchains e inclui ativos digitais e identidade digital.

No futuro, espera-se que o blockchain promova um maior controle e responsabilidade dos indivíduos sobre seus dados, bem como o renascimento de comunidades locais. Ele também pode simplificar processos como empréstimos, comércio regional de energia e até mesmo eleições, tornando-os mais seguros e transparentes. As criptomoedas se tornarão parte da sociedade cotidiana, facilitando várias transações e processos, e é importante abraçar essa tecnologia emergente que está mudando a forma como pensamos sobre o dinheiro.

Atualizado em by Forex Digital
Registro Rápido

A Exnova oferece uma plataforma única para seus traders. A estrutura é clara e transparente.

89%
Pontuação de Confiança

Ganhe $10.000 Virtuais! Nas Corretoras Abaixo

icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Risco de Perda de Capital
Pontuação de Confiança
Antes de tudo, a capacidade do blockchain, ou seja, a tecnologia que suporta criptomoedas como o Bitcoin, é cativante. A blockchain, em nossa opinião, tem potencial para se tornar um pilar fundamental do mundo digital. Ainda estamos nos estágios iniciais do desenvolvimento de criptomoedas, mas se os primeiros modelos de negócios baseados em blockchain ganharem força no mainstream, setores inteiros serão reestruturados, semelhante à forma como o início dos anos 2000 viu o surgimento do comércio eletrônico.