As criptomoedas e outros ativos digitais descentralizados, como tokens não fungíveis (NFTs), desempenham uma gama em constante evolução de funções alimentadas pela tecnologia blockchain em várias indústrias convergentes, incluindo finanças descentralizadas (DeFi), tanto na Web2 quanto na Web3, a Internet das Coisas (IoT) e a Inteligência Artificial (IA).

Se você já pensou em seguir os passos pioneiros dos senhores Satoshi e Vitalik e criar sua própria criptomoeda para ajudar a construir o futuro do dinheiro, esteja preparado para uma jornada fascinante, mas muito desafiadora.

Neste artigo para iniciantes, vamos analisar o que é necessário para criar sua própria criptomoeda e as várias opções disponíveis para você.

O Que Entender Antes de Começar

Existem muitas coisas a entender antes de iniciar o complexo processo de projetar sua própria criptomoeda. Assim como qualquer propriedade digital na web, você precisará promover o novo ativo de forma eficaz para garantir que ele ganhe tração e seja adotado por uma comunidade.

Vamos começar com o básico:

Ao criar uma criptomoeda, você tem a opção de criar uma moeda (coin) ou um token. Uma moeda opera em sua própria blockchain, enquanto um token é construído em uma rede existente. Ambos dependem de uma blockchain para segurança e descentralização.

Existem três principais maneiras de criar uma criptomoeda por conta própria: construir sua própria blockchain (moeda), modificar uma blockchain existente (moeda) ou construir em cima de uma blockchain existente (token). Para escolher a opção certa para seu projeto, você precisará avaliar fatores adicionais, como legalidade, casos de uso, economia de tokens e custos iniciais.

Dependendo da abordagem que você escolher, poderá exigir desde conhecimentos técnicos e de programação básicos até conhecimentos técnicos especializados, além de um grande comprometimento de tempo, dinheiro e outros recursos (paciência, determinação e um pouco de insanidade vêm à mente). Por fim, manter, nutrir e expandir sua criptomoeda ao longo do tempo será o maior desafio de todos.

Por Que uma Blockchain Precisa de uma Criptomoeda?

É importante entender por que as criptomoedas realmente existem. Elas são geradas por blockchains públicas como recompensa para incentivar os provedores de serviços de infraestrutura de rede (por exemplo, mineração ou validadores de staking) que ajudam a garantir e dimensionar a cadeia e processar transações e também os usuários que ajudam a rede a crescer por meio de suas interações (por exemplo, votação em DAO) e transações. Sem criptomoedas, não haveria motivo para os participantes da rede fornecerem e manterem seus próprios equipamentos e/ou investimentos em staking para o benefício da blockchain.

Exemplo: Blockchains públicas como o Bitcoin incentivam participantes da rede chamados de mineradores com recompensas de criptomoedas por resolver um quebra-cabeça matemático complexo. Esse sistema de recompensa motiva os participantes e ajuda a alcançar consenso.

Eliminando as recompensas de criptomoedas, não há motivação para os interessados em garantir o mecanismo de consenso, especialmente porque eles realmente têm que investir uma quantia significativa de fundos para adquirir e manter seu hardware de computação e cobrir despesas mensais. O risco de violações e ameaças de criptomoedas, como o ataque de 51%, se deve à menor descentralização e a menos guardiões para proteger a rede.

No entanto, se você estiver criando uma blockchain privada ou autorizada, onde você ou entidades selecionadas controlam os nós e validadores, como a nova cadeia NFT da Amazon, você não precisa de um ativo criptográfico, porque não há necessidade de incentivar um validador. Exemplos de blockchains privadas incluem Hyperledger e Corda.

Moeda vs. Token

As criptomoedas podem ser divididas em moedas e tokens, e é crucial entender a diferença. Enquanto uma moeda como o Bitcoin (BTC) ou Solana (SOL) existe em sua própria blockchain, um token vive em uma cadeia base específica, seguindo um formato específico como ERC20 (Ethereum), BEP20 (Binance Smart Chain), SPL (Solana) e assim por diante.

As moedas têm uma utilidade específica em toda a sua rede (como para gás ou governança) e normalmente são usadas para armazenar, criar ou transferir valor monetário entre todos os participantes. Por exemplo, é necessária uma certa quantidade de ETH como taxa de gás para alimentar qualquer transação na rede, independentemente das moedas envolvidas serem ETH ou um token ERC20.

Os tokens, por outro lado, são construídos em blockchains que já existem e fornecem uma utilidade específica para seus próprios projetos, como governança ou staking. Eles não são usados para gás, o que limita seu caso de uso e valor.

Whitepaper

As criptomoedas e outros ativos digitais descentralizados, como tokens não fungíveis (NFTs), desempenham uma gama em constante evolução de funções alimentadas pela tecnologia blockchain em várias indústrias convergentes, incluindo finanças descentralizadas (DeFi), tanto na Web2 quanto na Web3, a Internet das Coisas (IoT) e a Inteligência Artificial (IA).

Normalmente, um fundador criará e publicará um whitepaper de criptomoeda antes de lançar a criptomoeda. É um documento técnico detalhado que explica o que o projeto de criptomoeda está tentando alcançar e como.

Um whitepaper é muito importante para a captação de recursos iniciais e para chamar a atenção dos primeiros apoiadores. Ele mistura a linha entre um artigo acadêmico e um plano de negócios, transmitindo especificidades técnicas e econômicas, incluindo como a criptomoeda pretende atender a uma necessidade específica, resolver problemas existentes e melhorar nossas vidas.

Os whitepapers também devem oferecer insights sobre a tokenômica da criptomoeda e seu roteiro. Eles devem ser fáceis de entender e oferecer explicações técnicas sobre a competência do projeto.

Para obter alguma inspiração, comece com o original. O whitepaper do Bitcoin, “A P2P Cash Electronic System”, é leitura obrigatória para todos os fundadores de criptomoedas.

O Que Considerar Antes de Começar?

Antes de criar uma criptomoeda, existem algumas considerações importantes a serem ponderadas. Embora a maioria delas seja simples o suficiente, outras (como a legalidade) podem causar muita dor de cabeça se você não fizer sua lição de casa.

É Legal em Seu País?

Primeiro, verifique se seu projeto de criptomoeda é legal para ser executado e mantido no país em que você está. As criptomoedas ainda são proibidas em alguns países, como a China, enquanto em outros países elas são estritamente regulamentadas. Mesmo nos EUA, há uma batalha constante entre reguladores e empresas de criptomoedas. Os reguladores muitas vezes mantêm as criptomoedas em uma área legal cinzenta, onde as regulamentações podem mudar repentinamente de favoráveis para hostis.

Qual é o Propósito e Caso de Uso da Minha Criptomoeda?

Toda criptomoeda deve, teoricamente, ter um caso de uso ou propósito que sirva como uma proposta única de venda (USP) para a sua criptomoeda. Esse caso de uso, conforme descrito no whitepaper, determinará o tipo de blockchain e tecnologia que você usará.

Qual Mecanismo de Consenso Devo Usar e Por Quê?

Os primeiros dias das criptomoedas viram uma preferência pelo mecanismo de consenso de prova de trabalho (PoW) em detrimento dos mecanismos de consenso de prova de participação (PoS).

Um mecanismo de consenso ajuda a processar transações e proteger a rede, e sua escolha afetará o consumo de energia, descentralização e segurança da criptomoeda. Embora as blockchains PoW, como o Bitcoin, sejam elogiadas por sua grande descentralização e segurança, elas também são intensivas em energia e caras de manter. O Ethereum se tornou 99,95% mais eficiente em termos de energia no ano passado quando mudou de PoW para PoS durante sua atualização Merge.

Devo Emissão de uma Moeda ou um Token?

Existem grandes benefícios em criar um token em vez de uma moeda: é mais fácil e muito mais barato criar um token do que emitir uma moeda, que exige que você estabeleça sua própria blockchain e depois tente protegê-la. Por exemplo, um token ERC20 pode ser criado em minutos e aproveita imediatamente a segurança superior e testada em batalha do Ethereum, além de ter acesso a um ecossistema compatível enorme e a uma comunidade de usuários existente.

No entanto, se você decidir emitir um token, precisará adotar a arquitetura e as regras da blockchain subjacente, e provavelmente todas as taxas de transação que você gera serão denominadas no ativo nativo dela. Por exemplo, todas as transações de tokens ERC20 exigem um pouco de ETH para gás a fim de serem executadas.

Tokenômica

A tokenômica é um componente absolutamente vital de qualquer criptomoeda, ainda incompreendida por alguns investidores de criptomoeda. A tokenômica se relaciona com a oferta e a demanda de sua criptomoeda e é um elemento essencial para qualquer investidor perspicaz, que pode analisar quantas moedas ou tokens serão criados, como eles serão lançados ao longo do tempo, quanto é de propriedade dos criadores ou investidores iniciais e como eles serão queimados ou recomprados para controlar emissões. Se você errar nesse aspecto, seu projeto acabará pagando o preço.

Devo Contratar um Desenvolvedor ou Fazê-lo Eu Mesmo?

Projetar, construir e manter uma criptomoeda não é tarefa simples (até mesmo Satoshi Nakamoto teve alguma ajuda ao lançar o Bitcoin) e requer conhecimentos técnicos especializados. Se você não é um desenvolvedor, existem opções para criá-lo sozinho ou contratar um desenvolvedor de blockchain ou um provedor de serviços. Isso pode se tornar muito caro, dependendo do escopo e da atividade de sua cadeia.

Whitepaper e Website

Seu whitepaper é sofisticado, específico e diferente, mas simples o suficiente para ser entendido? Criar um whitepaper e um site claros e concisos ajuda a reivindicar uma participação justa para sua criptomoeda e alinha sua visão e estratégia com seu roteiro para que o mundo inteiro veja e invista.

3 Maneiras de Criar uma Criptomoeda

Agora que você provavelmente sabe o que deseja construir e por quê, é hora de criar sua criptomoeda. Existem três maneiras de criar seu próprio ativo criptográfico:

  1. Modificar (forking) uma cadeia existente: Não tem recursos para criar sua própria blockchain? Você pode usar o código-fonte de outra blockchain para criar uma nova blockchain e uma moeda digital nativa. Fazer um fork de uma blockchain existente pode ser mais rápido e menos complicado do que criar uma do zero, uma vez que o código de muitas blockchains é de código aberto, permitindo que você o baixe e o modifique como desejar. Esse método ainda requer conhecimentos técnicos avançados para evitar vulnerabilidades de segurança, bugs e outros problemas.
  2. Construir em uma blockchain existente (Create a Token): Se você não sabe programar e/ou não tem um grande orçamento, esta é a abordagem a ser adotada. Por que abrir uma loja no meio de uma possível zona de crimes quando há um grande shopping de criptomoedas à sua porta com segurança quase impenetrável? Em 2023, é fácil lançar uma criptomoeda ou token em uma plataforma existente, como Ethereum ou cadeias compatíveis com EVM, como Binance Smart Chain ou cadeias de camada-2 do ETH, como Optimism, Arbitrum e Polygon. A rede Ethereum usa o padrão ERC-20, que é menos técnico do que os outros e não requer tanto conhecimento de programação. No entanto, sua criptomoeda depende da blockchain que você escolher.
  3. Criar uma Nova Blockchain (Create a Coin): Lançar sua própria blockchain para criar uma criptomoeda é o caminho mais difícil por uma grande margem, pois requer recursos como codificação avançada e outras habilidades técnicas. Embora a educação por meio de cursos online possa ajudar, eles podem exigir algum conhecimento pré-existente e podem não ser suficientemente aprofundados.

Como Criar Sua Própria Criptomoeda: Guia Passo a Passo

Aqui está uma visão geral passo a passo do processo geral. Para simplificar, vamos supor que você vai criar uma criptomoeda com um propósito e visão reais. Se você quiser lançar um token simples no Ethereum ou em outras cadeias, há muitas plataformas simplificadas de criação de tokens na web que permitirão que você crie um em minutos.

Passo 1: Pesquise os Casos de Uso

Antes de começar a construir, descubra o seguinte, como mencionado anteriormente: qual é o seu caso de uso e proposta única de venda (USP)? Que problema sua criptomoeda resolve? Que benefícios ela oferecerá aos usuários em potencial? Outra blockchain já está fazendo isso, e se sim, você pode fazer melhor?

Criar um novo ativo criptográfico não é muito diferente de lançar um novo negócio inicial em muitos aspectos, e o mesmo planejamento é necessário para criar hype suficiente, algo que a nova geração de fundadores de NFT está se tornando muito habilidosa em fazer. Faça muita análise de marketing e pesquisa para aumentar suas chances de alcançar um ajuste real entre produto e mercado.

Saber qual problema seu token resolve também o ajudará a identificar um público-alvo responsivo e criar um plano de marketing altamente direcionado após o lançamento.

Passo 2: Escolha um Mecanismo de Consenso

Escolha um mecanismo que esteja alinhado com seus objetivos e requisitos, como o intensivo em computação Proof of Work ou o eficiente em energia Proof of Stake. Alguns mecanismos são muito inovadores, como o Proof of History (PoH) da Solana, mas podem trazer outros problemas.

Passo 3: Escolha uma Plataforma Blockchain

Escolha uma plataforma blockchain para hospedar seu token. Ethereum e Binance Smart Chain são escolhas populares, mas existem muitas outras opções a serem consideradas. Leve em consideração fatores como custo, escalabilidade e segurança ao tomar sua decisão.

Passo 4: Publique o Whitepaper em Seu Website e Redes Sociais

Com os passos 1 a 3 concluídos, você deve realmente entender o que está tentando construir por dentro e por fora. É hora de reunir todas essas informações em seu próprio manifesto. Pesquise os lançamentos bem-sucedidos de outras blockchains e descubra o que fizeram certo e errado. Compare os resultados pós-lançamento com a tokenômica e as emissões de rede. Crie sua própria estrutura de tokenômica em resposta. Agora, escreva seu whitepaper e publique-o em seu site. Em seguida, compartilhe-o amplamente.

Passo 5: Projete os Nós

Os nós são os blocos de construção de uma blockchain que armazenam e verificam suas transações. Adquira o hardware necessário, como processadores, memória e tamanho de disco, se necessário.

Passo 6: Estabeleça a Arquitetura Interna de Sua Blockchain

Agora, crie a arquitetura interna de sua blockchain e suas regras e parâmetros, como formatos de endereço e chave pública/privada, permissões e como o ativo criptográfico será emitido. Certifique-se de considerar cuidadosamente esses fatores, pois não podem ser alterados sem uma atualização de software após o funcionamento da plataforma.

Passo 7: Crie Sua Moeda ou Token

Agora, finalmente, é hora de criar seu ativo criptográfico. Se você optar pelo caminho ERC20, pode fazer um curso online primeiro e usar uma das muitas ferramentas gratuitas online, mas certifique-se de fazer uma pesquisa completa primeiro. Verifique se a plataforma pode ser confiável e é capaz o suficiente para evitar código malicioso e golpes. Alternativamente, contrate um desenvolvedor de blockchain com boas classificações em um site de freelancer de crowdsourcing, se você puder pagar.

Passo 8: Projete a API e a Interface do Usuário (UI)

A seguir, projete uma interface amigável para ajudar sua blockchain a se comunicar com seus participantes. Dependendo de sua complexidade, você pode precisar de servidores web, de email e FTP, bancos de dados externos e linguagens de programação de front-end, como HTML5, CSS, PHP, C++, Java, JavaScript ou Python.

Passo 9: Promova Sua Criptomoeda e Construa uma Comunidade

Agora, é hora de espalhar a palavra sobre o escolhido para construir sua base de seguidores dedicados. Entre em contato com influenciadores de criptomoeda (mas não promotores enganosos!), encontre uma plataforma de lançamento IDO parceira ou uma exchange para listar seu ativo, desenvolva uma campanha, faça distribuições gratuitas, se viável, e participe de comunidades e fóruns online relevantes. Se você estiver nos EUA, entenda o que é o Teste de Howey para evitar problemas legais relacionados a títulos posteriormente.

Conclusão

Criar sua própria criptomoeda pode parecer um desafio assustador no início, mas o mesmo vale para a perspectiva de se tornar seu próprio banco e gerenciar sua própria riqueza. Siga as informações e etapas deste guia de perto, e você estará a caminho do que esperamos que seja uma nova busca apaixonada pela vida (esperamos que isso se aplique a você e não a reguladores atrás de você!).

Lembre-se de que o sucesso no mundo das criptomoedas é raro e, mesmo que você siga todos esses passos, ainda há uma chance considerável de que sua criptomoeda não obtenha adoção significativa. No entanto, ao abraçar a jornada, você aprenderá muito e, com sorte, contribuirá para o avanço da tecnologia blockchain e das criptomoedas como um todo. Boa sorte em sua jornada de criação de criptomoeda!

Atualizado em by Forex Digital
Registro Rápido

3 Estratégias pré-construídas Incluídas, automatize suas ideias de negociação sem escrever código .

100%
Pontuação de Confiança

Ganhe $10.000 Virtuais! Nas Corretoras Abaixo

icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Risco de Perda de Capital
Pontuação de Confiança
As criptomoedas e outros ativos digitais descentralizados, como tokens não fungíveis (NFTs), desempenham uma gama em constante evolução de funções alimentadas pela tecnologia blockchain em várias indústrias convergentes, incluindo finanças descentralizadas (DeFi), tanto na Web2 quanto na Web3, a Internet das Coisas (IoT) e a Inteligência Artificial (IA).